Visão teológica sobre putas e prostitutas

Jesus exige de soldados: Não roube, não estupre, mas faça somente aquilo que é seu trabalho. É então possível ser crente, mesmo tendo uma profissão que leva a matar, porque o soldado cumpre somente seu dever. Se ele mata inocentes, não é a culpa dele, mas dos superiores.
Isso vale também para outras profissões. Na bíblia existem muitas prostitutas, algumas boas com Raab, outras más, outras nem boas nem más, e nunca exigem delas para parar com o trabalho. Só é proibido para filhas de pastores tornarem se prostitutas. (Hoje em dia deveria ser proibido também para filhos de pastores ser político, porque cai muita sujeira por cima do pastor.)
Martinho Lutero e outros teólogos acentuam, que a verdadeira oração é fazer tudo em nome de Jesus, pensando sempre nele. Isso inclui antes de tudo o trabalho, e implica em um comportamento bom e obediência aos superiores. Ele disse, que uma empregada, que limpa bem a casa, ora com isso melhor do que um monge que se tranca o dia todo na cela dele.
Prostitutas evangélicas são dedicadas, meigas, de boa vontade e obedientes. Será que é pecado servir com o seu corpo aos clientes.
Prostituta evangélica
Eu imagino que Jesus diria a uma prostituta: "Minha filha, vai em paz, e não engana mais seus clientes, nem furta. Se vc prometeu fazer por R$ 30 um programa completo, cumpre a sua palavra. Antes de deixar de cumprir, dá algo a mais a seu cliente. Não engana a ele, mas abre se direitinho para servir a ele em humildade e submissão. Humildade e submissão são o melhor enfeite para vc. Também não engana seu cafetão ou dono, entrega a parte dele a ele, assim como foi combinado, e obedece em tudo a ele e a outros superiores. Cuida de sua beleza, limpeza, e habilidade, porque esses são dons que Deus lhe deu. Seja sempre amorosa e gentil, também com clientes que não são agradáveis e te tratam mal. Ganhe os corações deles por sua submissão perfeita. Paga os dízimos, participa na medida do possível nos cultos, faça sua devoção em casa e não para nunca de orar, também quando transar com seus clientes, porque transar é seu dever. Se vc ocasionalmente transa com homens casados ou pastores, o pecado cai por cima deles. Vc deve obedecer a eles."

Será que é pecado trabalhar como prostituta?

Ceyla é evangélica e foi 3 anos prostituta sempre obediente e submissa, embora que sofria muitas torturas
Ceyla é evangélica e foi 3 anos prostituta
De Ceyla de Wilka
Prostitutas evangélicas destacam-se por sua boa vontade, dedicação, humildade, submissão, meiguice e obediência aos desejos do cafetão, dos clientes e de outros superiores. Por que muitos falam, que é pecado, ser prostituta?

Primeiramente podemos discutir se é possível, que uma profissão é pecaminosa em geral. Jesus e outros teólogos como Martinho Lutero, João Calvin e outros destacaram sempre, que a pessoa deve cumprir o seu dever em seu lugar. Uma empregada não precisa virar freira para ganhar o céu. Basta  ser obediente e trabalhadora na sua profissão. O mesmo Jesus fala para um soldado. Se alguém é soldado, deve continuar ser soldado, prendendo, destruindo e matando em obediência ao seu superior, mas ele deve se abster de crimes por conta própria como furtos, estupros e saqueios além de preguiça, desobediência etc. O mesmo vale certamente para outros que trabalham em situações de risco como funcionários de políticos e outros criminosos. Uma secretária de um político ou traficante deve atender com gentileza aos telefonemas, embora que ela facilita os crimes, que seus chefes cometem, se ela trabalha bem e facilita assim a vida e as ações deles.
Prostituta crente serve com amor, dedicação e submissão total
Prostituta crente serve com amor
Mas alguns teólogos alegam outra coisa: Eles falam: "Tudo bem, se alguém está em uma tal situação, tem que cumprir o seu dever. Mas se eu tivesse uma filha, e ela procura trabalho e se candidata a um emprego com um traficante ou político, recomendaria-lhe para não se candidatar a um emprego tão intimamente ligado ao pecado." Por isso ela também não deve procurar um emprego como prostituta, porque assim ela entra voluntariamente em um mundo cheio de pecados, segundo eles.
Tudo bem, vamos supor que isso é verdade. O pecado é virar prostituta. Uma vez já sendo prostituta não resta nada mais do que obedecer ao cafetão, os clientes e os outros superiores, ser trabalhadora, meiga, boazinha e dedicada. Acho até inteligente essa teoria. Ela vale também para soldados e outros: Um soldado que era soldado alemão na segunda guerra mundial devia obedecer ao Hitler, porque não tinha outra escolha (fora as exceções comuns como quando o ditador exige uma coisa contra Deus como queimar Bíblias, matar crianças, torturar etc.) Mas se um homem francês ou espanhol ou outro estrangeiro se oferece voluntariamente como soldado ao Hitler, aí está o erro, o pecado. Muito bem pensado. Então uma menina, que resolve virar prostituta, comete uma pecado. Talvez Deus não
Uma puta evangélica é sempre boa, obedece, e agradece pela sua educação, inclusive os castigos como tapas na bunda nua e açoites
Uma puta evangélica é sempre boa e obedece
conte como pecado, se ela faz isso por necessidade para alimentar os filhos, ajudar à família etc. Muito menos é pecado se ela obedece ao desejo de seus mãe, pai, esposo, irmão, cafetão ou outro superior, porque aí o pecado cai nele. Mas se ela vira prostituta sem ninguém forçar a ela e sem que passe fome, seria pecado.
Concordo. Tal menina deve se arrepender. Ela deve orar a Deus e falar: Senhor, acho que fiz um pecado contra Ti. Virei prostituta por ganância. Agora muitos homens casados correm risco de serem excitados para pecar fornicando comigo. Perdoa-me, Senhor, porque sei que Tu queres, que eles amam as suas esposas e isso talvez não combine com visitas a prostitutas.
Se ela se arrepender sinceramente, Deus lhe perdoa. Isso é uma coisa normal, que qualquer cristão faz: Cair em pecado por erros e arrepender-se. Mas se ela agora abandonar o seu emprego, seria uma desobediência ao seu cafetão ou outros superiores, que querem que ela continue. Ela deve ser feliz, que é perdoada e agradecer com um comportamento dedicado, amoroso e submisso.
Uma puta, prostituta ou outra menina evangélica gosta dos castigos e se arrepende dos pecados, e aceita os castigos em submissão e agradecimento
Uma evangélica gosta dos castigos e se arrepende dos pecados
E o que é se ela não tem cafetão nem outro superior? Nesse caso ela mesma se aluga aos clientes, como antigamente tinha pessoas que se venderam a se mesmos como escravos. Ela é praticamente uma escrava temporária de seus clientes. Por isso deve obediência aos seus clientes. Se é a vontade deles que ela continue se prostituindo, ela deve respeitar os desejo deles e mostrar-lhes que é uma menina boa e submissa, que não vê só sua própria vantagem.
Se ela um dia casar, o esposo vira normalmente o primeiro chefe na vida dela, antes do cafetão. Se ele quer que ela troque a profissão, aí ela pode sair da prostituição.


Visão católica
Que bom que tb irmãos católicos refletem sobre o assunto. Semana passada recebi uma carta de Padre Vinícius, SP. Ele escreveu:
“Cara Petala,
li com interesse o seu artigo no orkut. Eu costumo falar para os meus alunos sobre a prostituição da seguinte maneira:
Pensamos em uma garçonete que trabalha num restaurante. O dever dela é fornecer comida aos que frequentam o local. Ela pode, se quiser, até dar dicas; por exemplo, se ela chegou a saber que alguém é diabético, pode aconselhar para não comer aquela comida que ele pediu. Mas ela tem que obedecer e agradar aos clientes, trazer o que eles querem.
A situação da prostituta é igual. O dever dela é fornecer amor, carinho e sexo aos que a procuram. Ela pode, se quiser, até dar dicas; por exemplo, se ela chegou a saber que alguém é casado, pode aconselhar para não negligenciar a esposa em favor dela. Mas ela tem que obedecer e agradar aos clientes, fazer o que eles querem.”



Submissão e obediência
Uma puta deve obedecer ao seu cafetão, dono ou outro superior. Alguns teólogos, filósofos e políticos acham, que se deve obediência só a superiores legítimos como diretor de escola ou empresa, juiz, governo, polícia e semelhantes. Mas essa separação entre legítimo e ilegítimo não existe. Existem no mundo ditadores, como os antigos Gadafi, Assad, Saddam Hussein, Hitler, Stalin e mais, que usam meios considerados ilegítimos para manter-se no poder, ou chegaram ao poder por golpes e violência, soberanos herdeiros como reis e príncipes e governos eleitos. Mas também os reis herdeiros governam somente, porque um antecessor deles usurpou o trono com meios ilegais. E os governos democráticos existem, porque alguém traiu o rei, fez um golpe e adquiriu o poder à força, como os generais brasileiros Marechal Floriano e Deodoro Fonseca, que traíram e derrubaram o imperador. Mas também o imperador não era legítimo, porque ganho o trono pela traição de Don PedroI contra seu pai, o rei de Portugal. Mas também os reis de Portugal não estavam no poder legitimamente, porque conquistaram o Brasil dos índios em uma guerra sanguinolenta e ilegítima. O legítimo não existe, e se Jesus exige a obediência ao governo, ele falou do imperador Augusto, que usurpou o trono por traição, golpes, guerras e assassínios.

Devemos obedecer aos superiores sempre. Quem mora em uma cidade com um prefeito evangélico idealista, obedece tanto como um cidadão que mora em uma favela em poder de um traficante. Não pode dizer que não vai obedecer ao traficante, porque ele não é evangélico ou não eleito democraticamente ou faz coisas contra a lei, porque a maioria dos políticos faz a mesma coisa, e assim ninguém mais obedeceria a ninguém. A obediência chega ao fim somente, se um superior manda fazer algo diretamente contra Deus adorar a deuses falsos, queimar Bíblias, ou estuprar crianças.
Por isso uma prostituta tem que obedecer em tudo aos seus superiores, fora as exceções mencionadas, que seriam contra Deus. (Leia sobre tais exceções o artigo: O que uma puta faz, se ela é muito mau tratada. )